BUSQUE NO SITE

Fechar ▲

Inspirador! Famílias que adotaram crianças com microcefalia

Mais de 48 mil crianças vivem hoje em abrigos. Dessas, 5.500 estão inscritas no Cadastro Nacional de Adoção, o CNA. Muitas acabam nem entrando no cadastro por terem algum tipo de deficiência, já que muitos membros do juizado assumem que ninguém vai querer adotar uma criança deficiente.

Não é o caso desses casais. Mesmo podendo gerar filhos biológicos e saudáveis, ao verem essas crianças pela primeira vez, algo tão forte tocou o coração deles que eles não viram outra opção senão doarem-se a esses seres tão frágeis.

Karen Isler e seu marido Alessandro adotaram Moisés quando ele tinha apenas 4 meses. Além de ter sido abandonado pela mãe, foi devolvido por um casal de meia-idade, que o adotou anteriormente, por acharem que não conseguiriam cuidar de uma criança com microcefalia. O desenvolvimento intelectual de Moisés, aos 5 anos, é o mesmo de uma criança de 1 ano e meio.

Inspirador! Famílias que adotaram crianças com microcefalia

Aurieni Campos Barbosa e seu marido adotaram Miguel, agora com quase 2 anos, em março do ano passado. Miguel, também com microcefalia, foi abandonado na maternidade. Aurieni trabalhava no mesmo hospital em que ele estava e, quando o viu, disse que seu coração quase saiu pela boca, tamanha a emoção que ela sentiu em vê-lo. Miguel não fala e está aprendendo a sentar. Ainda precisa de aparelhos que o ajudem a respirar e comer.

O casal Natália Paganini e Heliana Queiroz, adotaram Érick, com Síndrome de Down. Infelizmente, ele acabou falecendo com 1 ano de idade. Quando se sentiram preparadas novamente, adotaram Júlia, outra criança com microcefalia e com uma mãe biológica soropositiva. Apesar do prognóstico negativo dos médicos, Júlia, agora com 2 anos, senta, engatinha e anda sozinha, auxiliada por atividades como fisioterapia, fonoaudiologia e equinoterapia. E, felizmente, ela não desenvolveu o vírus HIV.

Inspirador! Famílias que adotaram crianças com microcefalia

Essas crianças podem ter deficiências e muitas dificuldades para viver. Mas elas têm todo o amor do mundo de seus novos e dedicados pais, e isso vale todo o esforço.

Fotos: Marie Claire.

Sobre:

Best of Web

Compartilhar no Facebook