BUSQUE NO SITE

Fechar ▲

Homem invade velório e atira contra caixão em JP; morto seria integrante de facção criminosa

Pessoas que acompanhavam um velório em uma funerária no bairro de Jaguaribe, em João Pessoa, acionaram a polícia na madrugada desta terça-feira (5) denunciando que um homem invadiu uma das salas do local e atirou duas vezes contra um jovem de 20 anos que estava sendo velado. A ação aconteceu por volta das 4h30.

Homem invade velório e atira contra caixão em JP; morto seria integrante de facção criminosa

O rapaz foi baleado no domingo (3) no bairro de Mangabeira. Em estado grave, ele foi levado para o Hospital de Emergência e Trauma, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu nessa segunda-feira (4). A informação é de que ele tinha envolvimento com criminosos.

O repórter Jorge Filho, da TV Correio, foi até a funerária e conversou com familiares do jovem. Segundo relatos da tia do rapaz, um homem chegou próximo ao corpo e atirou contra o morto. Os tiros atingiram o caixão e a parede da funerária. Familiares e amigos que participam do velório ficaram com medo de serem mortos e não tentaram impedir a ação do homem. Ao deixar a sala onde era velado o rapaz, o homem atirou para cima, gesto que significa comemoração para facções criminosas. Depois disso ele fugiu a pé.

Ao Portal Correio, um funcionário da funerária negou que o homem tenha atirado contra o caixão. Segundo ele, o disparo foi apenas para o alto. Apesar da versão do funcionário, a TV Correio fez imagens do caixão danificado pelos tiros.

O caso será investigado pela Polícia Civil. De acordo com o delegado Reinaldo Nóbrega, da Delegacia de Crimes Contra a Pessoa, as investigações serão concentradas em identificar a pessoa suspeita e entender as motivações do ato criminoso durante o funeral.

Homem invade velório e atira contra caixão em JP; morto seria integrante de facção criminosa

A polícia também vai investigar o envolvimento do autor dos disparos com o assassinato do jovem. Ainda segundo o delegado, o autor dos disparos pode ser autuado por crimes contra o sentimento religioso e o sentimento aos mortos, previstos no código penal.

Sobre:

Fonte: Portal Correio

Compartilhar no Facebook