BUSQUE NO SITE

Fechar ▲

Recadinho aos pais sobre “Dia da Família” de escola municipal de SP viraliza na internet

O mundo está mudando e precisamos dessas mudanças, principalmente quando ela começa na escola com nossas crianças.

Os ambientes de ensino precisam se adaptar às novas realidades e isso quer dizer questionar o que sempre fizeram, porque ainda o fazem e se seria a forma mais intelinge continuar fazendo.

Em um desses momentos de reflexão, o EMEI Desembargador Dalmo do Valle Nogueira, que fica no bairro da Vila Sônia, em São Paulo, resolveu que não iriam mais celebrar certas datas.

E para explicar aos adultos responsáveis, postaram em seu Facebook oficial o seguinte recado abaixo (e que é uma verdadeira voadora).

Confira a publicação abaixo:

Prezadas famílias,
Em mais um ano de bastante discussão, a escola resolveu não realizar eventos nas tradicionais “datas comemorativas” (páscoa, dia das mães, dia dos pais, natal, etc). Achamos importante dividir com vocês algumas razões:
1) As datas comemorativas foram tomadas por um aspecto muito comercial (compras, presentes, consumo) e reforçar essa ideia (do carinho estar necessariamente ligado ao presente) não faz parte dos nossos objetivos;

2) Dia das mães e dia dos pais desconsideram a diversidade das famílias existentes. Tem família que não tem mãe presente, família que não tem pai, famílias dos mais variados tipos. Por que dar tanto valor para o dia das mães e dos pais sabendo que não corresponde à realidade de todas nossas crianças? Não seria muito melhor fazer “dia da família”? Achamos que sim!

3) A escola pública é laica e não professa nenhum credo, respeitando a pluralidade de religiões de nosso povo. Portanto, datas comemorativas cristãs não serão tema do nosso dia a dia por também considerarmos que a religião é da intimidade de cada família e deve ser tratada em casa.

4) Algumas festas insistem em colocar as crianças em “apresentações” que acabam se tornando uma tortura para professoras e crianças: ensaios, vergonha de participar e se apresentar, tristeza pela ausência de um familiar na apresentação, choro… Podemos brincar muito de cantar e dançar na escola sem ter que passar por momentos como esse. A intenção da apresentação tem q surgir da própria criança, e não somente responder a um desejo do adulto.

A nossa escola é espaço de cultura brasileira e trabalharemos para ampliar o repertório de todas as crianças, sem discriminação e exclusões. Todas as famílias são bem vindas nos eventos abertos e também para conhecer o nosso trabalho, que busca trazer novidades e conhecimentos, sempre respeitando as crianças pequenas e seu modo vivo e alegre de ser.

Atenciosamente,
Emei Des. Dalmo do Valle Nogueira

Compartilhar no Facebook