BUSQUE NO SITE

Fechar ▲

O que deveríamos aprender com o depoimento desse jovem que trabalha no McDonald’s em Recife

Antes que nada mais der certo, reveja seus conceitos. Subestimar algumas profissões é um tipo de preconceito infelizmente enraizado em nossa cultura. O designer de interiores e funcionário de uma rede de fast food Charles Richardd, assim como muitos de nós, se cansou de frases engraçadinhas. Sua indignação resultou num post no Facebook e este, motivo de reflexão pra geral.

Depois de ver uma imagem ridícula dessas de fim de ano da internet de ‘Se não passar vestibular, a segunda opção vai ser trabalhar na McDonald’s, venho mandar um recadinho”. É assim que começa o texto publicado pelo jovem de 18 anos que, através de seu trabalho em uma unidade do Mc Donald’s em Recife (PE), conseguiu pagar e concluir seu curso de Design de Interiores na Universidade Maurício de Nassau.

O que deveríamos aprender com o depoimento desse jovem que trabalha no McDonald’s em Recife

Trabalho na Mc Donald’s e é meu primeiro emprego e essa é uma das coisas que estou fazendo por enquanto que não acho um emprego na minha área. Não acho problema nenhum fazer isso. Não é indigno. […]. E foi com o meu salário que ganho da “Mc Donald’s” que paguei minha Faculdade, E HOJE SOU FORMADO EM DESIGN DE INTERIORES. Talvez as pessoas da ‘segunda opção’ estão trabalhando pra pagar seu futuro (faculdade, escola) então antes de criticar qualquer trabalho, tome na vergonha na cara. Porque aquele que você zoa hoje, pode ser o rico que vai te DAR UM EMPREGO AMANHÔ. E com seu desabafo, Richard alcançou em poucos dias mais de trezentos mil likes e 11 mil compartilhamentos na rede social.

Em entrevista, o garoto comenta sobre alguns tipos de trabalhos em que ele observa o preconceito das pessoas: “Busquei o emprego para suprir necessidades da vida e futuramente realizá-las em prol de outras […] Tem pessoas que adoram humilhar os que trabalham em comércio. Sempre chamam de burros ou sem estudos. Mas não é bem assim, se estamos ali é porque fomos capacitados, porque passamos por testes, entrevistas e treinamentos. Acredito que nós, que trabalhamos nesse ramo ou em qualquer outra área, merecemos ser respeitado”. Bela lição, Richardd.

Sobre:

Hypeness

Compartilhar no Facebook