BUSQUE NO SITE

Fechar ▲

Não vale julgar um pit bull por sua aparência sem antes conhecer o que ele esconde dentro do coração

Ninguém é tão emblemático em fidelidade quanto um cão familiar. Ao se olhar para ele em meio aos nossos familiares não conseguimos ver uma lealdade tão patente quanto a que vemos num cão.

Essa história vem circulando nas redes sociais há tempos. O marido estava preocupado com o pit bull da família. Tinha receio que ele pudesse intimidar a filha recém-nascida.

Foi enfático em dizer à esposa que não estava disposto a tolerar um só problema que viesse a acontecer do cachorro sobre o bebê: “Zack vai embora a qualquer sinal que ameace o bem-estar de nossa filha” — decretou.

Reversão de Expectativas

Como num passe de mágica, o que se verificou foi exatamente o contrário. O cão era indiscutivelmente o melhor amigo do homem, mesmo os temíveis pit bulls.

Minha esposa e eu tínhamos dois cachorros antes de nos casarmos. O dela era um mestiço pitt bull com labrador cujo nome era Zack, e ele me odiava. Talvez por isso mesmo eu tenha me adiantado e dito:

Zack se vai daqui ao menor sinal contra nossa filha!

Não vale julgar um pit bull por sua aparência sem antes conhecer o que ele esconde dentro do coração

Cão protetor

Trouxemos nossa filha para casa. Ela veio sentada numa cadeira de bebê, e o que vimos foi dois cães com as caudas balançando e narizes e línguas a mil. A ponto de eu ter de afastar Zack porque ele não queria parar mais de lamber nossa doce criança.

Zack tornou-se o maior protetor de minha filha. Se ela estivesse deitada sobre uma coberta no tapete, ele vinha e se deitava aos pés dela.

O mais evidente é que Zack amava a nossa filha com muita intensidade. Até depois de ela ficar um pouco mais velha, ele continuava a sua aura de anjo protetor.

Ele a acompanhava até a cama e ficava ali com ela. Sabia, acho que intuitivamente, quando era hora de esperá-la na escada, ali mesmo nos primeiros degraus, para quando chegasse a hora de ela deitar-se subir com ela até o quarto.

Não vale julgar um pit bull por sua aparência sem antes conhecer o que ele esconde dentro do coração

Reversão de Expectativas 2

Zack foi envenenado. Quando não entendemos muito como as coisas acontecem, elas acontecem e nos deixam sem palavras.

Alguns meninos da vizinhança atraíram-no e deu no que deu. Foram os piores dias de nossas vidas. Tivemos de presenciar a cena de minha filha dando adeus ao fiel protetor, seu amigo que a esperava na escada para acompanhá-la todas as noites ao seu quarto.

Às oito daquela noite, minha filha caminhou até as escadas para ir para a cama. Naquele instante nos vimos os três sozinhos e conscientes do que de fato tinha acontecido. Nos próximos cinco anos, minha filha não teria Zack para acompanhá-la pelas escadas até o quarto.

Ela olhou para a sua mãe e depois para mim com um olhar de pavor e pânico. Era como se tivesse engolido naquele momento a terrível perda de Zack.

Não vale julgar um pit bull por sua aparência sem antes conhecer o que ele esconde dentro do coração

Reversão de Expectativas 3

Não acabou ainda. Naquele momento foi que meu cachorro, Sam, que também amava minha filha, embora não tão caprichosamente quanto Zack por assim dizer, levantou-se e caminhou até ela. Deu-lhe uma leve cutucada com a cabeça e em seguida se colocou às escadas, olhando para cima, como num convite para ela subir.

Eles foram juntos até o quarto e eu vi minha filha segurando-o apertadamente pelo pescoço.

Pelos próximos seis anos foi essa a rotina das noites em casa: Sam seguindo com nossa filha até cama. Até o momento de sua morte também.

Mas uma coisa é certa: o que não morre mesmo é a fidelidade canina. Ah! Esta está vivinha da silva sempre!

Sobre:

Via Awebic

Compartilhar no Facebook