BUSQUE NO SITE

Fechar ▲

Jornalista faz experimento e sofre assédio por 2 horas andando em Teresina

Inspirada em um vídeo gravado em Nova York (EUA) que denunciava o assédio sexual sofrido por mulheres nas ruas de Manhattan, a editora-chefe do portal 'O Olho', do Piauí, resolveu fazer o mesmo experimento em Teresina, andando pelas ruas do Centro e da Zona Sul da cidade por cerca de duas horas durante um sábado de manhã.

O percurso foi filmado com uma câmera escondida e registrou quinze situações de assédio, o que mostra um pouco do dia a dia de grande parte das mulheres brasileiras. O relato da jornalista Sávia Barreto, publicado no site do portal, descreve os assédios sofridos e as sensações que ela vive diariamente ao andar pelas ruas da cidade.

"Duas horas e pelo menos 15 assédios depois sinto bolhas nos pés e dor na alma: o machismo de todo dia, assim, filmado e legendado, parece que expõe mais as vísceras de uma sociedade desigual em gêneros, onde a mulher está vulnerável a assobios, olhares e expressões sussurradas por desconhecidos como 'gostosa', 'bundinha' e 'delícia'", conta ela.

"Meu temor não era motivado por me considerar gostosa, linda e estonteante (porque não sou e porque mesmo uma mulher que é, não merece receber nenhum tipo de agressão verbal e sexual), mas porque basta ser mulher, estar andando sozinha nas ruas, que quase prontamente alguns homens sentem-se no direito de avaliar a forma física e até de fazer convites sexuais", completa Sávia.

No vídeo gravado, é possível ver comentários e olhares abusivos dos homens durante a caminhada. "É tolhendo pequenas liberdades diárias femininas, inclusive a de sorrir e se vestir como bem entender, que o machismo vai trancando as mulheres em calabouços psicológicos", finaliza a editora-chefe do portal.

Veja aqui o relato da jornalista na íntegra.

Assista ao vídeo com o experimento:

Sobre:

Via Catraca Livre

Compartilhar no Facebook