BUSQUE NO SITE

Fechar ▲

Gêmeas siamesas que tinham poucas chances de sobreviver começam a frequentar a escola

Angela e Daniel Formosa, pais das gêmeas siamesas, foram avisados pelos médicos que as filhas, Rosie e Ruby, hoje com 4 anos, tinham poucas chances de sobreviver. Elas nasceram unidas pelo abdômen e compartilhavam o mesmo intestino, mas passaram por uma cirurgia depois do parto, desafiando as previsões dos médicos.

Em entrevista ao “Huffington Post”, os pais das meninas, que vivem em Bexleyheath, Kent, na Inglaterra, contaram que estão muito felizes com a conquista das pequenas, que começarão a frequentar a escola neste mês. “Há quatro anos, eu não achava que isso fosse acontecer. Quando eu engravidei, achei que nunca teria um primeiro dia de escola delas, mas isso é incrível”, disse emocionada a mãe.

Gêmeas siamesas que tinham poucas chances de sobreviver começam a frequentar a escola

Pais de uma outra menina, Angela e Daniel só descobriram que as gêmeas eram siamesas na 16ª de gestação. “Eu fiquei muito assustada porque me disseram que eram grandes as possibilidades de as meninas não sobreviverem. E se sobrevivessem à gestação, não sobreviveriam à cirurgia”, contou.

As meninas foram operadas pelo cirurgião pediátrico Paolo de Coppi, que já tratou 27 gêmeos siameses no Great Ormon Street Hospital, em Londres. Para ele, é uma alegria saber que Rosie Ruby terão uma vida normal. “Estamos muito confiantes que Rosie e Ruby estejam começando a escola em setembro. É sempre uma alegria testemunhar o progresso dos pacientes e ouvir que eles estão alcançando novos marcos – o que torna o trabalho que fazemos o mais gratificante”, afirmou ao jornal.

Gêmeas siamesas que tinham poucas chances de sobreviver começam a frequentar a escola
Compartilhar no Facebook