BUSQUE NO SITE

Fechar ▲

Com este tratamento, lixo vira água potável, produtos para agricultura e construção civil

Após 12 anos de estudo, o biólogo Guilherme Moraes dos Santos criou um novo tratamento para o lixo. O processo chamado “Digestão Molecular de Resíduos Sólidos” possibilita transformar o lixo e chorume residenciais em uma pasta que pode ser tratada de forma a servir para várias finalidades, além de reduzir em 80% o volume bruto do lixo.

Entre as finalidades que esta pasta pode serivir, a mais importante é a de tornar-se água potável. Mas também pode ser usada como matéria-prima para construção civil, adubo natural e água reutilizável para jardins e limpeza de vias públicas.

O processo menos trabalhoso e com baixo custo, também contempla triagem e desinfecção de recicláveis para comercialização ou retorno à indústria.
A criação de Guilherme está sendo executada inicialmente na empresa Urbam, em São José dos Campos, São Paulo. “Toda a estrutura física da matéria, inclusive do lixo, segue um padrão dentro do absoluto controle da luz solar”, afirma em entrevista ao Envolverde.

O mau cheiro do chorume some em poucos minutos de tratamento. “Este processo é uma sinergia química, na qual a molécula de hidrogênio é condicionada em uma escala energética para desintegração e renovação da matéria. O hidrogênio, uma molécula muito atuante no planeta, transmuta tudo que não tem utilidade para renovação da vida ou sem funcionalidade ao equilíbrio biológico do solo. Os elementos químicos nocivos tornam-se benéficos”, conta.

Ele explica que mais do que eliminar totalmente o odor, o processo evita gastos milionários com manutenção de aterros. “A pasta é inerte, o que já justifica a importância deste tratamento dos resíduos que reduz em 80% o volume bruto do lixo”.

A pasta possui elementos químicos orgânicos essenciais à cadeia de nutrição do solo, plantas e vida bacteriana da terra. “É vantagem fornecê-la como fertilizante à agricultura para um resultado mais eficiente, preservando fontes de recursos da natureza, em substituição a adubos artificiais altamente impactantes”. Tais medidas de logística reversa estão previstas na Lei Federal 12.305/2010 que versa sobre o Plano Estadual de Resíduos Sólidos no Brasil.
Com este tratamento, lixo vira água potável, produtos para agricultura e construção civil

Veja no vídeo como funciona melhor:

Compartilhar no Facebook